SPONGE CAKE DO JAMIE OLIVER

P1050670

P1050676

P1050681

P1050682

P1050683

P1050684Assisti a um programa do Jamie Oliver dias atrás e fiquei com muita vontade de experimentar o bolo que ele preparou. Inclusive, decorei a receita, por ser muito fácil e porque fiquei fascinada com a rapidez do preparo e com o resultado. Em visita a uns amigos na longínqua Escócia semana passada, fui um dia para a cozinha e preparei o tal do bolo. Saiu tudo certo e ficou delicioso. Portanto, tendo retornado ontem de viagem, resolvi dividir essa experiência divertida com minhas amigas. Anotem a receita.
SPONGE CAKE DO JAMIE OLIVER
250gr de farinha de trigo
250gr de açúcar
250gr de manteiga em temperatura ambiente
5 ovos
1 colher rasa de fermento em pó
1 colher de essência de baunilha
Bater todos os ingredientes no processador ou na batedeira. Fica uma massa bem espessa pois não leva leite. Colocar em assadeira redonda média, de abril, untada com manteiga e trigo. Levar ao forno por 10 minutos a 200 graus e depois diminuir para 160 graus. Ficar de olho para não passar do ponto. Fazer o teste do palito para saber quando está assado.
Para o recheio você vai precisar de:
1 vidro de geléia de damasco (A receita original é com lemon curd, e foi isso que utilizei no meu bolo. Mas como não temos esse ingrediente no Brasil, uma geléia meio azedinha, como de damasco, substitui bem.
200gr de mascarponi misturado com 4 colheres de açúcar
Franboesas ou outras frutas vermelhas, podendo ser até morangos
Açúcar de confeiteiro para salpicar o bolo.
Retire o bolo do forno, deixe esfriar, abra ao meio e recheie da seguinte forma: uma camada de geléia, uma camada de mascarpone, uma camada de frutas. Reserve um pouco da geléia para passar na parte superior do bolo antes de colocá-la sobre os recheios, para grudar bem e não escorregar. Salpique com açúcar de confeiteiro e enfeite com algumas frutas.
Obrigada Jamie…por nos ensinar tantos pratos práticos e deliciosos.
Bon appetitte!
Louisette

Anúncios

Viva organicamente

almeirão com cebola roxa

Em certos lugares ao redor do mundo, come-se muito bem os folhosos, daqueles ricos em fibras.

Um dia assisti na TV o entusiasmo de Jamie Oliver com a merenda escolar italiana. Aquela cena me marcou: Ele mostrando variedades de folhas e vegetais para as crianças e elas prontamente acertando todos os nomes.

Surpreendentemente é também a facilidade com que podemos servir os nossos convidados e família um menu nutritivo, interessante e equilibrado.

Quando escolher fazer tudo organicamente, desde a ida ao supermercado, ou à verdureira, até a preparação do seu menu, experimente o inusitado. Perceba o que está mais fresco, bonito, cheiroso e agradável nas prateleiras. Veja a quantidade de ingredientes novos que você pode começar a usar. Sem medo.

Foi o que aconteceu no meu fim de semana em Chapecó, durante a visita à minha amiga do charmoso blog ChicaMeTipo.

Reparamos como o almeirão se destacou entre os demais alimentos. Então foi só escolher mais alguns itens, de igual qualidade, e voltar felizes para casa.

Preparamos da seguinte forma: Aquecemos óleo de coco e tostamos as folhas. Fizemos o mesmo com as cebolas roxas. Se quiser, pode ser temperado depois com um aceto balsâmico e pimenta do reino. Nós saboreamos assim, somente com óleo de coco em alta temperatura, já que ele é puríssimo como uma ghee (manteiga indiana).

Foi uma noite de comidinhas leves e super especiais, apreciadas entre um vinho e outro, entre amigos. Sem culpa e com muita diversão.

Julia.

Tortelle de abóbora com creme de queijo de cabra

Como eu gosto da cor profunda e intensa das abóboras.
E o modo como elas se esparramam na horta quando recebem o sol e um solo bem nutrido. Você sabe que estão maduras quando os talos começam a secar e a casca endurecer. Mas se você colhê-las e deixá-las no sol, elas amadurecem ainda mais. E isso faz com que se conservem por mais tempo.
Falando em botânica, ela é classificada como fruta, a moranga também.
A mais comum é a butternut, a nossa abóbora-menina. Mas é um alimento cultivado a mais de 10 mil anos, com diferentes tipos, formatos, tamanhos e cores.

A variedade de pratos que se pode fazer com a abóbora é incomensurável.
Como excelentes transportadoras de sabores, você pode misturá-las com especiarias e ervas, como alecrim, sálvia, erva-doce, noz-moscada, canela, depois assar ou cozer, usar em saladas (combinam muito com folhas de inverno) e temperar com vinagre balsâmico.
Para o meu gosto, grellhadas e preparadas com pimenta fresca picada, azeite de oliva extra-virgem, acompanhadas de radicchio ou rúcula, está perfeito.

Há uma regra geral sobre as abóboras, segundo o Jamie Oliver: Quanto mais laranja ela for, melhor será para você. Pois é rica em vitaminas A, B, C e E, e potássio, além de virem de um mundo misterioso.

O inverno desse ano, na região onde moro, deu muitas abóboras.
Então resolvi testar minhas habilidades e inclui-la num prato amistoso para a época. Massa!

Há tempos buscava uma receita básica de massa, que eu pudesse abrir, cortar, moldar, além de aromatizar e colorir como eu desejasse, ou com o que tivesse em casa.

Pelas minhas experiências com os livros enfarofados do Jamie Oliver, saberia que encontraria ali a ideal, além do incentivo que ele te dá sorrindo.
Aberto o livro no capítulo PASTA, ele inicia dizendo que o seu modo de cozinhar mudou para sempre quando passou a fazer uma massa deliciosa. “Massa é divertido, e deve ser preparada com amor, e apreciada imediatamente, com muito gosto e barulho, se possível! (…) Para preparar um jantar delicioso que o fará se sentir como se estivesse levado um grande abraço de uma mamma italiana!

Me enchi de confiança e fiz:

TORTELLE DE ABÓBORA COM CREME DE QUEIJO DE CABRA

Massa:

Para cada pessoa, calcular 100 g de farinha de trigo e um ovo.
Bater no processador até obter uma massa homogênea e pronto.

Recheio:
1 abóbora média picada
1 cebola
3 dentes de alho picados
50 g de gengibre ralados ou picados
2 folhas de louro
1 ovo
azeite de oliva
sal, pimenta-do-reino, alecrim e noz moscada a gosto.

Aquecer o azeite de oliva, refogue a cebola, o alho, noz moscada, folhas de louro, e acrescentar a abóbora, o ovo, sal e pimenta-do-reino, misturando delicadamente. Cozinhar por 3 minutos na panela de pressão ou até que a mistura tenha reduzido a ponto que dê para espremer como um purê.
Ajuste o sabor, se necessário.

Creme de queijo de cabra:
3 colheres de manteiga ou azeite de oliva
3 dentes de alho picados
1 colher de café ou mais de sal
1 colher de café ou de chá de sementes de endro
3 colheres de sopa de farinha de trigo
3 copos de leite de cabra
100 g de queijo de cabra picado miúdo ou ralado

Aquecer a manteiga ou azeite de oliva com o alho, sal a gosto e sementes de endro, tendo o cuidado para não queimar.  Acrescentar a farinha de trigo, mexendo rapidamente com o fuá, mantendo a panela no fogo.  Deixar dar uma douradinha.  Acrescentar então o leite aos poucos, mexendo continuamente, deixando incorporar antes de acrescentar mais. Tem que ficar um mingau espesso. No final, acrescentar o queijo de cabra.

Montagem:

Dividir a massa em 4 partes, para facilitar o manuseio.
Abrir cada parte com a ajuda de um rolo. Costumo deixar ao lado um punhado de farinha para me auxiliar. De vez em quando, passo um pouquinho na superfície de trabalho, no rolo ou nas mãos. A massa fica fininha sem grudar, mas use pouco para que isso não interfira na elasticidade dela.

Feito as lâminas, cortar tiras retangulares, de 6 cm x 6 cm, ou o tamanho que preferir. Colocar o recheio num dos lados do tortelle. Uma colher de sopa é o suficiente. Cobrir com o outro lado e fechar com a ajuda de um garfo.

Depois de acomodar todos os pedaços em uma travessa e polvilhá-los com trigo (ou semolina, se tiver), aquecer uma panela grande o suficiente para acomodar alguns tortelles, adicionar uma borrifada de azeite de oliva e sal. Cozinhar em água fervente por cerca de 5 minutos, escorrer e despejar o cremoso queijo de cabra.

Nessa noite, eu finalizei o prato com pimenta rosa e alecrim. Azeite de oliva sempre. Enquanto aguardava meus convidados, eu preparei esse molho de pimentas chilli frescas.

Com amor, Julia.

Publicado em: 16 de agosto de 2012 @ 8:00, republicado com amor, em 24 de março de 2013.

Pizza!

Bom dia, amigos.

Adorada por todos os povos, as pizzas são sempre uma boa pedida!

Desde a primeira vez que fiz a minha própria massa, não deixo de incentivar as pessoas a fazerem o mesmo. É prático, é gostoso, é caprichado e é a sua massa!

Meu marido e eu somos discípulos do Jamie Oliver sob vários aspectos: Coragem de testar receitas; Adaptá-las ao gosto de cada um; Usar do que tem na despensa e o que é fresco – da época; Divertir-se; Ser sincero; Provar de tudo; Testar testar testar; Rir dos resultados; Aprender com os mais velhos e nunca deixar de aprender.

A nossa receita de massa de pizza, a seguir, foi baseada na receita do Jamie Oliver, do livro Jamie Em Casa.

800g de farinha de trigo branca
200g de semolina de trigo (se não tiver, coloque mais 200g de trigo no lugar)
1 colher de sopa rasa de sal
1 colher de sopa de açúcar de confeiteiro
14g de fermento seco (dá para usar fermento fresco também)
650ml de água morna (aproximadamente)

Extras opcionais, quantidade a gosto:
– gergelim
– linhaça
– aveia
– quinua em flocos
– trigo integral

Rende mais ou menos 6-8 bases de pizza finas, tamanho médio.

Faça um monte com as farinhas, o sal, os extras e abra uma cavidade de uns 18
cm no meio. Adicione o fermento e o açúcar à água morna, misture e
deixe descansar por alguns minutos, depois despeje na cavidade.

foto(4)

Com um garfo vá trazendo a farinha da borda da cavidade para dentro e vá
misturando. Quando achar que é hora, ponha a mão na massa e sove por
uns bons 10 minutos até que a massa esteja lisa, elástica e macia.
Faça uma bola, polvilhe com farinha e cubra-a por uns 15 minutos em
temperatura ambiente. Depois é só cortar a massa e ir abrindo na
quantidade necessária.

foto(1)
Se quiser, dá para fazer uma base de pizza, polvilhar com farinha ou
semolina, cortar um pedaço de papel alumínio e esfregá-lo com azeite,
colocar outra base em cima, e desta forma empilhar várias bases de
pizza antes da hora. Ou vá abrindo uma por uma na hora de montar.

Recomendo colocar uma pedra dentro do forno convencional, pré-aquecer
o forno e a pedra a 250 Co. Assim cada pizza levará de 5-7 minutos para
ficar pronta.

foto(3)

E seguindo aquela máxima que já citamos aqui, aproveitamos o calor do forno para outras comidinhas, nesse dia assamos abóbora e sementes de abóbora. Guardamos e saboreamos no outro dia. A massinha branca foi o nosso teste.

No caso dos recheios, a minha dica é: menos é mais. Pizzas com
uma quantidade menor de recheio acabam ficando melhor do que as com
muito recheio.

foto(2)

foto(5)

foto

O gostoso é quando tem bastante gente pra comer! Servimos com o nosso Ketchup caseiro, que postamos a receita aqui.

Bom apetite!

Julia.

Bellini!

O verão é a época das delícias! Aproveito para preparar drinks refrescantes que levam frutas, pois adoro frutas, e espumantes!

Muitos drinques podem ser preparados utilizando espumantes. Este chamado Bellini é agradabilíssimo! Foi consagrado no Harry’s Bar, em Veneza. Li num livro do Jamie Oliver, que essa bebida é a idéia que a mãe dele tem do céu.

– Corto bem picadinho pêssegos frescos, coloco uma pequena porção em cada flute e, por fim, sirvo a espumante bem gelada…

IMG_9627-001

Julia.

Para receber amigos e celebrar a vida!