A doce companhia dela.

Boa tarde!

É verão! Época de conviver ainda mais com os amigos, viajar, se bronzear, fazer programas ao ar livre, piqueniques, e tudo mais. Na casa da minha amiga Louisette, o preparo de delícias é cena corriqueira. Cheguei a tempo de fotografar e apresentar para vocês um divino bolo:

c

Para um Feliz Aniversário do nosso querido patriarca da família!

Julia.

Anúncios

Ao meu pai

Oi, pessoal.

Com ares matinais, passarei o dia a comemorar o aniversário do meu pai. Que direi de uma pessoa como ele? Sábio da palavra. Mestre da vida. Ensina a verdade, sendo verdadeiro; O amor, amando; A importância da vida, sendo inteiro aos instantes.

Dedico este post a ele. Com um texto de Lin Yutang, chamado O que se deve fazer e uma fotografia de Jean Philippe Charbonnier, chamada O segredo, da mesma coleção de fotografias chamada Instantâneos da Felicidade, que falei aqui.

“É absolutamente necessário que as flores tenham borboletas, que as colinas tenham fontes, que as rochas tenham musgo, que a água tenha plantas aquáticas, que as árvores altas tenham lianas enredadas e que os seres humanos tenham passatempos.

Deve-se gozar das flores em companhia de belas mulheres, embriagar-se ao luar em companhia de encantadores amigos, e gozar do espetáculo da neve em companhia de inteligentes sábios.

Plantar flores serve para convidar as borboletas, amontoar rochas serve para convidar as nuvens, plantar pinheiro serve para convidar o vento, ter um tanque serve para convidar as algas, construir um terraço serve para convidar a lua, plantar bananeiras serve para convidar a chuva, e plantar salso serve para convidar as cigarras.

Sempre se obtém um sentimento diferente quando se olham as colinas do alto de uma torre, quando se olha a neve de uma muralha, quando se olha a lua à luz de uma lâmpada, quando se olham as nuvens de um bote, e quando se olham as mulheres formosas num quarto.

As rochas contíguas a uma ameixeira devem parecer antigas, as que estão perto de um pinheiro deve parecer rústicas, as que estão junto de bambus devem parecer gráceis e as que estão dentro de um tanque devem parecer estranhas.

As águas azuis vem das verdes colinas, porque a água tira a sua cor das colinas; os bons poemas vem de perfumados vinhos, porque a poesia extrai a sua inspiração do vinho.

Quando se encontra um espelho com uma mulher feia, quando uma pedra preciosa encontra um dono vulgar, e quando uma boa espada está em mãos de um general ordinário, então não há absolutamente nada que fazer.”

Beijos saudosos, pai.

Com amor, J.

Felicidades, querida Louisette

Porque hoje é aniversário da Louisette, nossa colaboradora deste blog, resolvemos publicar um retrato lindíssimo da Julia Child que representa bem o senso de humor, a energia positiva, a vitalidade e muitas outras qualidades inerentes às de Louisette.

Gostaríamos aqui de lhe dar parabéns e dizer tudo o que desejamos a você. Mas isso já fizemos, e achamos um desperdício deixar que essa data especial passe, sem contar aos nossos caros leitores que pessoa maravilhosa você é, porque é bela e porque é uma inspiração diária para nós.

De início, vem-nos à memória sua determinação e sua inteligência. Poderia falar por horas e até escrever livros sobre gastronomia, viagens, casamento. O modo como encara a vida é excepcional, vive cada momento a realizar aquilo que serve à sua família, com profundo ardor e sensibilidade. Forma laços entre as pessoas com uma facilidade indescritível, tem um apetite voraz por todas as formas de arte e é curiosa, muito curiosa, o que explica a sua criatividade, o legado da sua carreira e seu insaciável interesse por ser autodidata em muitos requisitos. Essa vocação é um de seus dons brilhantes. O que se designa a aprender faz de uma forma elegantemente estupenda, com o espírito de uma jovem mulher adulta.

E na preciosa essência, o romance. Ao seu lado, um grande companheiro, que a cuida muito bem, a encoraja e a adora. O amor e o respeito mútuos nos faz compreender porque é louca por ele e vive a enchê-lo de mimos e carinhos.

Pronto, contamos.

Bom dia!

100 anos de Julia Child

Hoje, dia 15 de agosto, Julia Child completaria 100 anos.
Este blog a condecora por sua estupenda arte de viver.

Mais que escritora e apresentadora de TV, Julia Child deu importância ao que temos de melhor e mais precioso: a vida humana.
Foi uma mulher integral, porque preservou uma grande quantidade de valores brilhantes. Cultivou a paixão aos ideiais, aos desafios, a renovação, ao aprimoramento pessoal. Manteve-se leal dentro de si, ao companheiro, as amigas, a sua casa, e se tornou uma figura notável e até moderninha para a época. Fez suas escolhas sem perder de vista o que realmente importa: A família e a saúde. E se manteve ativa para tentar outras coisas enquanto viva, provando ao mundo que, não importa quão bom seja o seu jeito, você não pode estar sempre certo. E se você compreende os sabores, saberá que toda comida é boa quando é feita e saboreada no seu país original e na temporada devida. Com seu entusiasmo pela comida, seu sorriso no rosto e sua piscada de olho certamente aproximou alguns corações ao seu.

Hoje, em que tão poucos preservam tais virtudes, sua energia continua mobilizando mais corações pelo mundo. Acredito realmente nisso.

Minha manhã de hoje foi despertar bem cedo, alongar-me, olhar para a chuva, agradecer, desjejuar em boa companhia e ir na feira da praça.
Em memória a Julia Child, ainda quero ouvir Beatles, inventar uma dancinha nova enquanto preparo um jantar com aquilo que estiver no melhor da época. Se possível, comer os meus favoritos figos maduros frescos, impossível descrever porque sempre os quero, não os esqueço e, cujo sabor me alegra por não compreender nem imaginar seu exótico sabor. Acredito que é o meu elixir da imortalidade. Que contente estou por viver, e pelas figueiras.

Ainda em razão do aniversário dessa grande mulher, hoje compartilho algumas falas sobre comidas, de um escritor mestre – Lin Yutang. Para ler e reler!

Sobre ser o que se come:
“Os pais tratam sempre de obter as boas graças da ama-de-leite e de tratá-las regiamente, pois compreendem que a saúde da criança depende da disposição, da felicidade e da vida geral da sua ama. Pari-passu, deveríamos dar a nossos cozinheiros, que nos alimentam, o mesmo regio tratamento, se nos interessa a nossa saúde tanto como a de nossos filhinhos. Se um homem sensato, uma linda manhã, estendido no leito, contar nos dedos quantas coisas da vida lhe causam em verdade prazer, descobrirá invariavelmente que a comida é a primeira. Portanto, a prova invariável para saber se um homem é avisado e sensato consiste em verificar se tem boa comida na sua casa.”

Os chineses não fazem distinção alguma entre comida e remédio. Sucede assim, o primeiro livro chinês que se conhece sobre cozinha, foi escrito por um médico imperial da Corte Mongólica, em 1330, e considera essencialmente a comida como regime de saúde, apresentando essas afirmações preliminares: “Quem queira cuidar bem da saúde deve ser frugal nos seus gostos, proscrever suas preocupações, temperar os desejos, conter as emoções, ter cuidado com a sua força vital, poupar as palavras, considerar desprendidamente o triunfo e o fracasso, ignorar as penas e as dificuldades, deixar de lado as doidas ambições, evitar grandes prazeres e os grandes aborrecimentos, acalmar a vista e o ouvido, e ser fiel no seu regime interno. Como se pode assim adoecer, se não se cansa o espírito, nem aflige a alma?”

Para mim, a filosofia da comida reduz-se a três coisas: frescura, sabor e contextura. O melhor cozinheiro do mundo não pode preparar um prato saboroso a menos que tenha coisas frescas que cozinhar, e qualquer cozinheiro dirá que a metade da arte de cozinhar reside na compra.

Para o comum das gentes, cozinheiros de si mesmos, quem tem sua horta ou vive no campo pode estar certo de que dispõe da melhor comida, embora não tenha o melhor cozinheiro.
Pela mesma razão, deve-se provar cada comida em seu lugar de origem antes de pronunciar um juízo sobre ela.

A contextura do alimento, no tocante à macieza, elasticidade, fragilidade e suavidade, depende sobretudo da graduação do calor do fogo. Quanto ao sabor, há duas espécies de comidas: as que se servem melhor no seu próprio molho, sem adulteração, e as que sabem melhor quando combinadas com o sabor de outra comida. Há na natureza certos sabores que parecem feitos um para o outro e alcançam seu mais alto grau de deleitabilidade unicamente em recíproca combinação, tirando sabor ao outro e lhe emprestando o seu.
É o que acontece entre o figo e o queijo de cabra.

Julia (honrosamente)

Felicidades Querida Julia

Aqui está uma das fotos que tiramos no domingo do bolo de aniversario da Julia…Ela estava muito linda e radiante de felicidade e nós também por estarmos compartilhando com ela e com os familiares essa data tão especial…O cardápio de pizza e bolo parece ter agradado a todos…Enquanto o maridão esnobava como pizzaiolo na cozinha, os convidados se espalhavam pela casa…alguns na cozinha, observando enquanto tomavam vinho ao aroma das massas que entravam e saiam do forno, outros na sala, ouvindo música e conversando…foi um dia muito especial…uma festa descontraída, preparada com carinho, com coisas simples feitas em casa…desde o molho da pizza, a massa, as ervas colhidas no quintal…além do bolo, é claro…FELICIDADES QUERIDA AMIGA….Louisette