Da conversa: Casamentos e simbologias

Bom dia!

Eu sempre senti atração pelas flores de laranjeiras. São de uma natureza pura, verde e branca. E na escolha do meu vestido de noiva, desejei rendas rebordadas dessa árvore.

Minhas amigas e artistas Rose (Dona) e Patrícia (Moça), da belíssima marca Dona Moça, encontraram e fizeram para mim!

a2a1

A primeira parte do meu vestido foi um tomara que caia, de cetim de noiva. A segunda parte foi uma camisa de renda, rebordada com a mesma renda, mais mini canutilhos de vidro e miçangas. A terceira parte do vestido, foi uma saia de gazar de seda, com cós plissado. Acrescentamos botões na parte da frente do vestido e nas mangas. O véu foi feito de tule italiano, rebordado com a mesma renda da camisa do vestido.

Igualmente mais que especial, ficou o vestido da minha mama, feito por elas também. Um vestido azul marinho de seda e musselin, e casaqueto de renda de guipir todo rebordado com as mesmas flores e pérolas. E um facinator para completar o look.

Fizeram tão bem, que até a minha paz interior se apaixonou!

Depois, acabei descobrindo que usar essas flores no dia do casamento é simbólico. Os antepassados usavam as flores de laranjeiras porque as consideravam um talismã para assegurar tanto uma família numerosa como a felicidade nupcial. Os antigos romanos tinham o costume de atirar flores no trajeto da noiva, acreditando que as pétalas fariam a noiva ter sorte e dar carinho ao marido.

Amém.

Julia.

Anúncios

Um comentário sobre “Da conversa: Casamentos e simbologias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s