Aromaterapia – Parte I

Dos tempos idos,  ainda vejo práticas – altamente eficazes – que curam muitas pessoas através dos sentidos.
Me inclino a dizer que todo ser humano pode se auto medicar.
Para isso, Deus não poupou trabalho na natureza. Tamanha criatividade, foi dedicada até no rosto ímpar de cada um de nós.
Deus não prescreveu tratamentos, mas nos contou a sua vida e em parábolas, para que usássemos nossa inteligência para incluir a dimensão espiritual em nós também.

Camomila para acalmar, boldo para o fígado… Falo apenas do que vejo no meu quintal. Sem mencionar as culturas diversas e suas descobertas.
Deus nos deu equilíbrio emocional, e também nos deixou princípios ativos na natureza que estão comumente relacionados à atuação no corpo físico. Por isso eu acredito na interação entre o estado emocional e a saúde.

Ainda há quem tente definir, de modo impreciso, o termo Aromaterapia, como algo além da realidade.
Não sei bem porquê, mas acredito que seja falta de acreditar e confiar em Deus e no Seu amor.
A quem falte fé no amor. Quem aspira amor nutre mais as emoções positivas que as negativas, porque interpreta melhor o sentido da vida.
Também é difícil estabelecer qualquer conceito absoluto para as emoções, porque é algo muito sutil e invisível.
Mas creio que a vida é sempre mais rica e especial quando se segue os princípios de Deus e deixa Ele operar uma diferença em seu comportamento e, conseguintemente, nas experiências emocionais.
Crer que tudo é espiritual pode ser benéfico tanto para quem o exerce como para aqueles que o circundam.

Gostei muito da maneira como a empresa Laszlo fala de Aromaterapia: “Nada mais cativante, artístico e apaixonante do que o perfume. Essência é uma palavra que vem do latim esse (ou essere), que significa “Ser”, sendo então a Alma ou o Eu. Os antigos egípcios acreditavam que os óleos essenciais fossem a alma das plantas, a sua energia vital em máxima manifestação de luz. Acreditavam também que esta essência poderia influenciar positivamente nosso corpo, curando-o e elevando-o à um estado de iluminação. As plantas liberam e doam sua “essência” de forma desapegada e amorosa a nós, especialmente através de suas flores.”

– Parte I, porque ainda estou iniciando nesse aprendizado. Muito obrigada, Siimca, por me apresentar o caminho e hoje tornar isso possível e real em minha vida.

Com amor,

Julia.

Anúncios

Um comentário sobre “Aromaterapia – Parte I

  1. Aqui em casa os pés de laranja estão “roubando a cena”. Quando abrimos a porta pela manhã, o cheiro das flores de laranjeira é tão forte que a gente pára para respirar fundo e sentir o perfume inundar os pulmões. É maravilhoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s